2 Saindo do Brasil e Chegando no UK

2.1. Controle de Imigração

 Nos últimos anos têm ocorrido mudanças frequentes na regulamentação de concessão de vistos para o Reino Unido a fim de se manter um maior controle sobre o fluxo imigratório. Por conta disto, há um controle bastante rígido tanto na concessão de vistos quanto na entrada de pessoas no UK, de forma que é fundamental possuir o tipo correto de visto e documentos que comprovem suas reais intenções ao adentrar o país.

Atualmente existem várias categorias de visto disponíveis e o interessado deve se informar cuidadosamente sobre qual o tipo de visto que melhor se aplica à sua situação. Também recomendamos que a application (candidatura) seja feita com a maior antecipação possível, pois o período de tempo para concessão do visto pode variar bastante de caso a caso. Para informações detalhadas sobre documentação, prazos e procedimentos para o pedido de visto, a fonte de informações mais segura e atualizada é sempre o website do UK Border Agency (UKBA): www.ukba.homeoffice.gov.uk. Nele, você encontrará todas as informações necessárias sobre o trâmite de concessão de vistos.

Para estudantes, além do passaporte com o visto, o ideal é ter em mãos na chegada:

–       A carta de aceitação da instituição onde realizará os estudos;

–       O endereço e um contato do local de residência no país;

–       Certidão de casamento ou união civil estável acompanhada de tradução juramentada, no caso de vir acompanhado(a).

Dicas Úteis:

Recomendamos que as pessoas escolham voos programados para chegar em dias úteis e durante horário comercial (9am às 5pm), pois é mais fácil acionar ajuda em caso de emergência. Assim, tenha sempre em mãos o contato de um responsável na instituição de ensino que vai recebê-lo. Outro ponto de apoio, mas para casos não emergenciais, é o Setor Acadêmico da Embaixada Brasileira em Londres: www.brazil.org.uk/education.

Para bolsistas ainda em processo de obtenção de visto, uma carta das agências de fomento com informações sobre o valor e período de concessão da bolsa pode facilitar o trâmite. Caso as agências não forneçam um documento diretamente endereçado ao UK Border, uma tradução juramentada com cópia autenticada da carta de concessão da bolsa que contenha essas informações também pode ser uma alternativa.

Há também um procedimento que pode facilitar o processo no quesito idioma, que atualmente é critério obrigatório e eliminatório para a concessão do visto. Sugerimos, caso você não tenha obtido a nota estabelecida pela universidade[1] por uma diferença mínima (por exemplo, 0.5 ponto em uma das habilidades examinadas nos testes de inglês), que você entre em contato com a instituição de ensino e apresente o resultado do teste acompanhado de uma carta solicitando que o resultado seja considerado para sua aceitação. Muitas universidades oferecem cursos complementares de inglês antes do início do ano letivo e durante o curso. Não raro elas concedem a carta de aceitação para que o estudante faça a candidatura para o visto se eles se comprometerem a frequentar esses cursos. Muitas vezes, quando da chegada, algumas pessoas realizam o teste de nível de inglês para serem alocadas em uma turma e são liberadas da obrigatoriedade, passando o curso a ser opcional.

            2.2. Alfândega

            O sistema usual é 1) a declarar e 2) nada a declarar. Como estudante em tempo integral por pelo menos um ano, você tem direito a trazer, além de livros, uma unidade de qualquer objeto pessoal (rádio, laptop, câmera etc.). Em caso de dúvida, procure saber as restrições alfandegárias junto à companhia aérea de sua escolha ou no site do UKBA (www.ukba.homeoffice.gov.uk/customs-travel/customs) enquanto ainda estiver no Brasil.

 Dica Útil:

Há vários lugares em que é possível adquirir adaptadores elétricos. Contudo, a rede elétrica no UK é de 240v, o que pode inviabilizar o uso de alguns equipamentos eletrônicos vindo do Brasil, onde a rede elétrica varia entre 110v e 220v (esta última, geralmente, funciona sem problemas). Há vários estabelecimentos e supermercados como Argos, Sainsbury’s, Asda, entre outros, nos quais equipamentos eletrônicos e utensílios domésticos podem ser adquiridos a preços bastante acessíveis – o que pode ajudar também no sentido de reduzir o volume das malas dependendo do período de tempo que for durar sua estada.

           2.3. Dinheiro

 Os principais aeroportos têm agências bancárias. Entretanto, é importante trazer algum dinheiro em libras esterlinas. Existem casas de câmbio espalhadas por várias localidades do Brasil nas quais qualquer pessoa pode trocar reais por libras. Dependendo do valor, é necessário informar à casa de câmbio com certa antecedência o montante em libras que você deseja, já que esta nem sempre possui uma reserva grande da moeda. Vale lembrar que tanto a entrada quanto saída do UK com um valor igual ou superior a £10,000 precisa ser declarada. Troque dinheiro no aeroporto somente se for extremamente necessário para as primeiras despesas. As taxas de câmbio variam e nos aeroportos são, normalmente, as menos favoráveis. A moeda segue o sistema centesimal: one pound (uma libra) equivale a cem pence. As moedas são de 1p., 2p., 5p., 10p., 20p., 50p., £1 e £2. As cédulas são de £5, £10, £20 e £50.

Dicas Úteis: 

Ainda no Brasil habilite o seu cartão de crédito para uso internacional. Você poderá sacar dinheiro com ele dentro do limite permitido pela sua operadora de cartão até conseguir abrir uma conta no UK. Neste caso, não se esqueça também de habilitar sua conta bancária no Brasil para acesso online e por telefone para que você possa movimentar sua conta à distância e, assim, realizar o pagamento das contas da cartão. Outra alternativa é o cartão pré-pago internacional, que pode ser adquirido em qualquer casa de câmbio. Em ambos os casos, os saques envolvem o pagamento de uma taxa, de forma que não vale a pena fazer retiradas consecutivas de valores miúdos.

O site Oanda disponibiliza uma ferramenta útil de conversão: www.oanda.com/currency/converter. Ele também possui um aplicativo para celulares que ajuda bastante na conversão de moedas quando de viagens ao exterior.


[1] Alguns cursos, principalmente os da área de humanidades, requerem uma nota maior do que a mínima exigida pelo UKBA para concessão do visto.